LIA MITTARAKIS

1934 – Rio de Janeiro
1998 – Ilha de Paquetá, Rio de Janeiro Morou na Ilha de Paqueta que serviu, sempre e exclusivamente de inspiração da sua pintura. Como seu nome pode pressupor, tinha uma origem grega já incorporada ao Brasil há varias gerações.
As cenas lindíssimas da cidade maravilhosa e os flagrantes cotidianos das pessoas que ali vivem, foram sempre focalizados com muito vigor e inocência em jogos de cores puras e chapadas. Sua primeira mostra individual foi na Galeria Barcinsky (1964) e nos anos seguintes realizou, entre outras, individuais na Galeria Vernon (1965), na Galeria Ricardo Montenegro (1969), na Galeria Chica da Silva (1974) e na Galeria Jean-Jacques em 1982, todas no Rio de Janeiro. Participou de exposições coletivas nos Estados Unidos, Itália, Alemanha, Suíça, Portugal, Inglaterra, Argentina, Itália, e no “Primeiro Encontro Carioca de Pintura Ingênua”, Rio de Janeiro, 1977. Integrou ainda a exposição “O mundo fascinante dos Pintores Naifs” no Paço Imperial em 1988 e 1989, quando o MIAN não existia ainda.
Em 1992, na ocasião da Eco 92, na Conferência Mundial sobre o Meio Ambiente, um quadro da artista representando o Rio de Janeiro sem poluição, foi reproduzido na capa da revista Time. O Museu Internacional de Arte Naif do Brasil possui no seu acervo um panorama do Rio de Janeiro de sua autoria, nas dimensões de 4x7m, intitulado “Rio de Janeiro, gosto de você, gosto desta gente feliz”, datado de 1983/1988, uma das maiores telas já realizadas por uma artista ingênua.

 


She lived in the island of Paquetá, which served, always and exclusively, as a source of inspiration for her paintings.   As indicated by her name, she was of Greek origin, but her family had already integrated into Brazil for several generations. 
The beautiful scenes of the marvellous city and the daily life of people who resided there were portrayed with much vigour and innocence in plays of pure, flat sections of colour.  Her first solo show took place at Galeria Barcinsky (1964), and in the following years, she held, among others, solo shows at Galeria Vernon (1965), Galeria Ricardo Montenegro (1969), Galeria Chica da Silva (1974) and Galeria Jean-Jacques in 1982, all of them in Rio de Janeiro.  She participated in collective exhibitions in the United States, Italy, Germany, Switzerland, Portugal, England, Argentina, and in the Primeiro Encontro Carioca de Pintura Ingênua, Rio de Janeiro, 1977.  She also took part in the exhibition O mundo fascinante dos Pintores Naifs in the Paço Imperial in 1988 and 1989, when the Museu Internacional de Arte Naïf (Mian) did not yet exist.
In 1992, for Eco 92, the World Conference on the Environment, a painting by the artist that portrayed the city of Rio de Janeiro without pollution made the cover of Time Magazine.  The Museu Internacional de Arte Naïf do Brasil holds in its collection a view of Rio de Janeiro by Lia, measuring 4 X 7 meters, entitled Rio de Janeiro, gosto de você, gosto desta gente feliz, dated 1983/1988. It is one of the largest paintings ever produced by a naive artist.