• Gerson_mostra1
  • Gerson_mostra2
  • Gerson_mostra3

OBRAS DISPONÍVEIS obras

Artista / ArtistGerson

Estado / State Pernambuco

GERSON

Gerson Alves de Souza
1926 - Recife, PE
2008 – Rio de Janeiro
Transferiu-se para o Rio de Janeiro, em 1946, como carteiro, profissão que exerceu até se aposentar, mesmo quando seu nome despontou como um dos nossos melhores pintores da linguagem espontânea.
Estudou gravura, desenho e entalhe na Escolinha de Arte do Brasil, encaminhado pelo pintor e desenhista Augusto Rodrigues. Participou, em 1959, do “Salão Nacional de Arte Moderna” pela primeira vez, obtendo, em 1966, Isenção de Júri. Participou ainda da “V Bienal Internacional de São Paulo”, das coletivas “Arte Atual Brasileira” (Europa, 1965), “Doze Pintores Primitivos Brasileiros” (Moscou, Varsóvia, Praga), “Arte Latino-americana desde a Independência” (itinerante por museus norte-americanos), “Primitivos Atuais da América”(Espanha), “Lirismo Brasileiro” (Lisboa, Madri, Paris), “Festa de Cores” (Museu de Arte de São Paulo, 1975).
Realizou vários exposições no Rio de Janeiro (Galeria Jean-Jacques) e em São Paulo (Galeria Jacques Ardies). A partir de 1988, participou regularmente de inuméras exposições no MIAN do Rio de Janeiro. Quando completou 82 anos de idade, uma mega exposição retrospectiva foi montada no Centro Cultural Correios do Rio de Janeiro.
Sua pintura de forte expressionismo figurativo, enfoca cangaceiros, beatos, elementos das danças tradicionais brasileiras, com cores fortes e dramáticas.

 




Working as a mailman, Gerson moved to Rio de Janeiro in 1946. He continued in this profession until he retired, even though his name has emerged as that of one of our best painters of spontaneous expression.
Gerson studied printmaking, drawing and woodcutting at the Escolinha de Arte do Brasil, guided by the painter and drawer Augusto Rodrigues. In 1959, he participated in the Salão Nacional de Arte Moderna for the first time, and in 1966, he obtained an Exceptional award, granted by the jury.  He also participated in the V Bienal Internacional de São Paulo, in the collective exhibitions Arte Atual Brasileira (Europe, 1965), Doze Pintores Primitivos Brasileiros (Moscow, Warsaw, Prague), Arte Latino-Americana desde a Independência (an itinerant exhibition through North American cities), Primitivos Atuais da América (Spain), Lirismo Brasileiro (Lisbon, Madrid, Paris), and Festa de Cores (Museu de Arte de São Paulo, 1975).
He held several shows in Rio de Janeiro (Galeria Jean-Jacques) and in São Paulo (Galeria Jacques Ardies). Starting in 1988, he regularly participated in numerous exhibitions at the Museu Internacional de Arte Naïf in Rio de Janeiro. When he turned 82, an extremely large retrospective show was held in the Centro Cultural Correios in Rio de Janeiro.
His painting, characterized by a strong figurative expressionism, portrays cangaceiros [nomadic “bandits” from the Northeast of Brazil], beatos [a beatified or pious person] and elements of Brazilian traditional dances, depicted in vivid, dramatic colours.