• Dila_mostra1
  • Dila_mostra3
  • Dila_mostra3

OBRAS DISPONÍVEIS obras

Artista / ArtistDila

Estado / State Maranhão

DILA

Dileusa Dinis Rodrigues
1939 - Humberto de Campos, Maranhão.

Autodidata iniciou sua carreira em 1968 quando já residia em São Paulo, realizando neste mesmo ano suas duas primeiras exposições individuais uma no Instituto Cultural Brasil-Argentina, São Paulo e outra na Galeria 21 de Recife. Nos anos seguintes, participou de inúmeras exposições no Brasil e no exterior como, por exemplo, uma individual na Galeria Gradiva de Buenos Aires (1973), no Clube Hebráica em São Paulo (1979), no Museu Histórico do Maranhão em São Luis (1988) e na Galeria Jacques Ardies em São Paulo (1989 - 1995 - 2005).
Dila voltou à sua terra natal, fixando residência em São Luis, onde foi recebida com muito carinho. Declarou na ocasião: “Ali está o meu chão. Está na hora de começar a pintar os babaçuais antes que eles acabem. 
E quem vai lembrar-se dos nossos pés de guajurus e muricizeiros?” Dila sempre esteve amarrada às imagens da memória, ao cotidiano nordestino e às lembranças da infância, que ela expressa em sua arte de forma original. “Espontânea, popularesca, sensibiliza com o fascínio de suas cores vivas, todas as classes sociais. Ingênua na simbologia, mas percuciente em suas mensagens, estabelece com o povo imediata interação.” escreveu o crítico e poeta Afonso Pantoja. Dila se tornou uma pintora de grande notoriedade e está sendo bastante procurada para realizar grandes murais encomendados pela cidade de São Luis do Maranhão.





Self-taught, the artist started her career in 1968 when she was living in São Paulo, holding her first two solo exhibitions that same year, one at the Instituto Cultural Brasil-Argentina, São Paulo and the other at Galeria 21 in Recife. In the years that followed, she participated in numerous individual and collective exhibitions in Brazil and abroad, including Galeria Gradiva in Buenos Aires (1973), the Clube Hebraica in São Paulo (1979), the Museu Histórico do Maranhão in São Luís (1988) and Galeria Jacques Ardies in São Paulo (1989 - 1995 - 2005).
Dila returned to her origins in the state of Maranhão, settling in São Luís, where she was warmly received. She declared, at that point: “That is where my roots are. It is time to start painting the babaçu palm forests before they disappear. And who will remember our cocoplums and the murici trees?” Dila has always had vivid memories of her past, of daily life in the Brazilian Northeast and of her childhood, which she expresses in her art in a very original way. “Spontaneous, engaged with the authentically popular, she attracts all social classes with her striking colours. Her symbology is naïve, but her messages are acute, as she establishes immediate connections with the people”, wrote the critic and poet Afonso Pantoja. Dila has become famous and is much sought-after to paint large murals in the city of São Luís do Maranhão.